3 de setembro de 2008

PARABÉNS, RANGER!

Tex apresenta KEN PARKER. Assim estava escrito na capa de VINGANÇA! - o novo título da Editora Vecchi que foi às bancas em novembro de 1978. O logotipo do ranger esteve estampado nas primeiras 29 edições de Rifle Comprido, que, àquela altura, já era uma referência entre os melhores quadrinhos publicados no Brasil.

Setembro de 2008, Tex está comemorando 60 anos de vida editorial e não podemos deixar de saudá-lo, da melhor maneira que sabemos fazer, através da arte de Ivo Milazzo. Uma aquarela quase inédita para muitos, a primeira versão da capa do texone SANGUE NO COLORADO (Mythos – nov/2001), onde Águia da Noite tem um cigarro preso à boca. O código de ética da SBE (Sergio Bonelli Editore) achou por bem apagar, literalmente, aquele cigarro. Tex Willer continuou sua cavalgada que, para a felicidade dos fãs, parece não ter fim. VIDA LONGA, PARD!

KEN PARKERBlog

6 comentários:

Grimm disse...

Caramba, não esperava algo assim dos Bonelli. Este tipo de censura é típica dos comics americanos. Entretanto, a Tex Gigante "Sangue no Colorado" é, talvez, a minha predileta, ao lado de "O Grande Roubo" deste serie.
Tex está sempre com problemas por causa do tabaco, uns tempos atrás houve o episódio do ranger estampado numa marca de cigarro brasileiro, onde até a arte foi copiada e adulterada.

Em Sangue Do Colorado, Milazzo estava inspirado demais e ao lado disto, sempre achei que os roteiro parecem mais elaborados nesta série de edições gigantes.

Roberval disse...

Finalmente alguém que concorda comigo! "Sangue no Colorado" é um dos melhores texones, sim! Texto bom e desenhos melhores ainda! Outro texone de que eu gosto é "O homem de Atlanta".

Abs

JoguL disse...

Numa coisa eu concordo com os dois pards,
SANGUE NO COLORADO tem, como não poderia deixar de ser, a capa mais bela de todos os texones: a começar pelo último plano, a incidência da luz nos telhados do vilarejo,as janelas iluminadas, a pose de Tex sobre o cavalo (própria de um cavaleiro trotando), as rédeas entre seus dedos e, enfim, o cavalo. Só acho um defeito de proporção nessa capa...o cano do rifle, faltou aparecer aquela pontinha por trás da orelha do cavalho.
Quanto ao argumento de Nizzi, na minha opinião, é muito fraco e não gostei do Tex de Milazzo.
Para concluir, cito os texones Terra sem Lei (Giolitti), O Pueblo Perdido (Ticci), O Último Rebelde (Colin Wilson), que acabei de ler e Tex, o Grande (muito mais pelos desenhos de Guido Buzzeli.

Abraços,
João Guilherme.

Anônimo disse...

Excelente aquarela!
Justifica plenamente o prestígio do artista.
AMoreira.

Grimm disse...

Particulamente, já reli muitas vezes estes texones,
diria que minhas prediletas, além do citado "Sangue no Colorado" e "O Grande Roubo", citaria ainda: "O Homem De Atlanta", Chumbo Ardente, pelas cenas que Tex chega a cidade (me lembra algo de Wyatt Earp), Tex o Grande (pela diversão), Arizona em Chamas com arte soberba do De La Fuente, a Marca Da Sepente e outra que acho muito boa (devia tá lá em cima): A Última Fronteira: esta é a minha capa predileta e a estória dramática tem todo aquele ar de Ultimo dos Moicanos (quase da para ouvir aquele som do violino do filme), sem falar que Tex e seus aliados são quase coadjuvantes . . .

eita foi mal...quase citei todas Texones e sai do um pouco do caminho do Chemako.

Mesmo assim, acho uma bobagem sem tamanho censurar um cigarro de um personagem: vícios é como as virtudes para os personagens, ajuda a delinear seu perfil.
Imaginem Mister Nó sem beber, sem jogar, sem fumar ...

em tempo..a Textone que menos gostei é a do Kubert, porém a mídia a coloca acima da média...

ass.: Grimm, o exagerado

José Carlos Francisco disse...

Parabéns pelo sexagésimo aniversário, TEX!
E quanto a esta ilustração do Milazzo, é realmente fantástica e é mais uma prova inequívoca que a nível de aguarelas ele é um dos melhores do mundo, se bem que ultimamente tenho visto aqui no KenParkerBlog, outras aguarelas de outros desenhadores, em nada inferiores.