31 de janeiro de 2009




Demetrius Dante, o Detetive do Absurdo! Personagem criado para o fanzine Subterrâneo, vem prestar uma homenagem a vários detetives que tem seus nomes começados pela letra "D", como Denny Colt, alter-ego do Spirit (Will Eisner), Dick Tracy (Chester Gould), Dylan Dog (Tiziano Sclavi), Diomedes (Lourenço Mutarelli) e DerekD (Márcio Garcia). É um detetive que investiga as lendas urbanas, "a loira do banheiro", "o roubo do rim", "a passageira fantasma", etc. Se envolve com esses "causos" para tentar esclarecer o que existe por trás dessas histórias. Verdades ou mentiras? Demetrius não tem poderes especiais, nem identidade secreta ou uma roupa espalhafatosa, é um cara comum e muito cético, está nisso pela verdade e pela grana também.


WILL. Ilustrador e designer gráfico. Foi um dos responsáveis pela criação do fanzine Subterrâneo onde começou a publicar as aventuras do Sideralman. Em 2007 ganhou dois Troféus HQMIX, Melhor Fanzine, com o Subterrâneo, e Melhor Prozine com A Mosca no Copo de Vidro e outras histórias. No mesmo ano recebeu menção honrosa de Melhor Desenhista no 1º Troféu Alfaiataria de Fanzines. Editou e publicou uma edição com três histórias do Sideralmean. Tem trabalhos publicados nas revistas Front, Prismarte, Tempestade Cerebral, Grande Clã, Pojeto Continuum, Bigorna Quadrinhos e Subterrâneo Especial. Em 2008 criou o Demetrius Dante, o Detetive do Absurdo. http://fotolog.terra.com.br/gazetadenovaluz



KEN PARKERBlog



AÚ, o capoeirista! Nascido em 1992, dos traços do premiado cartunista Flavio Luiz, Aú – cujo nome significa um conhecido movimento da capoeira -, começou com o esboço de um típico capoeirista baiano recepcionando uma francesa nas ruas do Pelourinho e foi criado por ocasião da exposição Bandes Dessinée – quadrinhos franco-belgas, em parceria com a Aliança Francesa, em Salvador. Nascia assim a idéia de criar um personagem com características do povo brasileiro. Anos mais tarde, Flavio Luiz desenhou um capoeirista mirim, na época com oito anos. Por meio de sucessivos estudos, esboços e aperfeiçoamento no traço, o personagem se consolidou, ganhou vida e atualmente tem 16 anos. As histórias, ambientadas na capital baiana, são repletas de aventura, humor e consciência ecológica mostrando o cotidiano do capoeirista mirim Aú e seu inseparável amigo, o macaquinho Licurí.

“A hospitalidade, a alegria, a criatividade do povo baiano retratadas nos personagens servirão para divulgar ainda mais os lugares, ritmos e as diferenças da nossa cultura, principalmente a cultura negra e seu sincretismo”, declara Flavio.


SERVIÇO:
Aú, o capoeirista
Álbum em edição de luxo, capa dura.
Formato: 21,5cm x 29cm, em papel couché.
Preço de capa: R$ 48,00
Informações: http://www.auocapoeirista.com.br/


FLÁVIO LUIZ RODRIGUES NOGUEIRA, 43, nasceu em Salvador, Bahia. Desde pequeno sua paixão sempre foi história em quadrinhos. Começou a trabalhar como ilustrador para agências de publicidade e blocos de carnaval entre 1986 e 1988. Trabalhou como diretor de arte em 1989 para a Propeg-Bahia. É cartunista e trabalha também como ilustrador publicitário. De 1993 a 1995 foi chargista e ilustrador do jornal Bahia Hoje. Desde então tem participado de diversos salões de humor nacionais e internacionais, recebendo vários prêmios. É também ilustrador do Correio da Bahia desde 2000, chargista da revista Metrópole e do site www.oaranha.com.br. desde 2007. Seus trabalhos fazem parte dos acervos do Museu of Cartoon Art - Boca Raton - Flórida, Gibiteca do Henfil - SP, Word & Pictures Museum – Massachussets, e do livro “Uma Historia do Brasil através da Caricatura”, entre outros.

Flávio Luiz tem seus trabalhos reconhecidos no Brasil e no exterior (I Festival Internacional de Cartoon da Suécia, em Malmo com o tema ecologia). Foi vencedor de prêmios em vários salões de HQ, entre eles o importante Salão de Piracicaba (1994 e 2000). Em 2000 recebeu o Troféu HQMix – considerado o Oscar dos quadrinhos no País – com a revista independente Jayne Mastodonte Adventures #1.


PUBLICAÇÕES:
1999 - Coletânea de tirinhas de JAB - Um lutador e da ROTA 66.
1999 - Revista em quadrinhos Jayne Mastodonte Adventures #1
2006 - Revista em quadrinhos Jayne Mastodonte Adventures #2
2006 – Graphic novel O Messias em parceria com Gonçalo Júnior, pela Ópera Gráfica
e-mail: flavioluizcartum@uol.com.br
fotoblog: http://flavioluizcartum.fotoblog.uol.com.br/




KEN PARKERBlog

30 de janeiro de 2009

BILLY THE KID! Interpretação gráfica do famoso pistoleiro por Arthur Filho, editor da revista independente Billy the Kid & Outras Histórias – Editora Opção 2.



ADAUTO SILVA, um dos grandes representantes dos quadrinhos nacional, é carioca e vizinho do mestre Júlio Shimamoto, de quem é amigo há mais de 30 anos. Nos anos 70 trabalhou para a RGE (Rio Gráfica Editora), onde desenhou de Riquinho a Recruta Zero; do Sítio do Pica-Pau Amarelo ao Fantasma. Diz que ainda tem muito que aprender...Parabéns, Adauto! Modéstia nunca fez mal a ninguém. Sua arte está estampada em revistas como a Billy the Kid & Outras Histórias e suas capas são famosas. Acompanhe seu trabalho visitando o seu blog. Veja a entrevista que Adauto nos concedeu em 21 de agosto de 2008, um exemplo de humildade, dignidade e talento.




KEN PARKERBlog



Criado em 1970, por Maurício de Souza, Papa-Capim é o indiozinho principal de sua turma, uma tribo localizada na Amazônia. Com ajuda do amigo Cafuné, da namoradinha Jurema, do cacique Ubiraci, e Oncinho, um filhote de onça, defende seu mundo das queimadas e combate intrusos. É um símbolo da cultura dos índios brasileiros, uma das raízes do nosso povo. Para que duas personagens se encontrem é preciso que estejam na mesma história. Esse foi o ponto de partida para minha homenagem ao Dia do Quadrinho Nacional e a KEN PARKER.



ANA CAROLINA, 1989, paulistana. Com alguma influência do meu pai João Guilherme, ainda criança comecei a desenhar e a ler quadrinhos. Turma da Mônica foi o gibi que mais li em minha infância, mas com o passar dos anos foi substituído em minha lista de leituras por mangás e livros de romances policiais, ficção científica, casos sobrenaturais e mitologia. Foi através da observação da obra de outros desenhistas que desenvolvi minhas técnicas. Também gosto bastante de fotografia, teatro e cinema. Atualmente curso a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP.




KEN PARKERBlog


Quero, através da minha arte, homenagear não um único herói dos nossos quadrinhos, mas a um grupo de artistas brasileiros que, durante anos, para suprir a falta do material norte-americano, desenhou personagens como o Cavaleiro Negro. Obrigado Walmir Amaral, Milton Sardella, Juarez Odilon, José de Arimathéia e Flávio Colin.

ANTONIO CARLOS MOREIRA é natural de Niterói – RJ. Um mestre na arte do claro – escuro e das hachuras à nanquim, agora se beneficiando dos recursos da Informática. Sempre gostou de desenhar, de preferência, belas e sensuais mulheres. Aos 18 anos, de carona no sucesso de Carlos Zéfiro, desenha, publica e vende “catecismos” (gibizinhos pornográficos famosos nas décadas de 50/70) sob o pseudônimo de Carlos Zorian. Paralelamente ao desenho, trabalha com contabilidade, afinal, artista também tem que comer. O curso de Ciências Contábeis e a pós-graduação em Engenharia Econômica encerram a carreira do artista; por conta de uma multinacional do petróleo, mora em Oklahoma e conhece a maioria das cidades latino-americanas.

Hoje, AMoreira está de volta com suas penas e pincéis de guerra e nos brinda com seus trabalhos maravilhosos, onde não falta a ousadia dos tempos de Zorian. Sua arte, sua vida, sua alegria estão em uma bela entrevista que concedeu ao KEN PARKERBlog em 17 de março de 2008.
http://kenparker.blogspot.com/2008/03/amoreira-arte-do-bem-viver-01-em-poucas.html



KEN PARKERBlog

29 de janeiro de 2009



MAGNUS! Criei esse personagem em 1999. Ele vive na América Latina, onde se depara com situações e personagens que fazem parte da História como o asteca Montezuma e o espanhol Cortez (ainda inacabado. Ele é um homem comum, sem super poderes nem armas poderosas.


PAULO JOSÉ. Nasci em 09/04/1970, em Guadalupe - RJ. Comecei a ler quadrinhos desde cedo, entre muitos personagens que aprendi a gostar os principais são do gênero western, Tex, KEN PARKER, Jonah Hex, Cobra, etc. Aos dezessete anos fiz um curso de desenho, nesse período consegui meu primeiro emprego, foi justamente em uma agência publicitária, onde desenhava. Após concluir o curso comecei a pintar quadros a óleo. Trabalhei em várias outras coisas, hoje trabalho por conta própria. Entre um trabalho e outro faço quadrinhos, fiz alguns zines (Mamute, Reverso, Magnus), colaborei com algumas revistas, como a Billy the Kid, e desenhei uma edição do “Sinergia” de José Mario Duarte. No momento estou fazendo uma HQ do Raio Negro para a Júpiter II, do amigo José Salles.

Junto com Tex, KEN PARKER é um dos personagens que mais gosto. Uma revista que me marcou muito foi uma edição de Rifle Comprido, TERRAS BRANCAS, até hoje é uma das minhas favoritas. Tinha essa edição quando garoto e consegui outra há pouco tempo.



KEN PARKERBlog

VELTA, detetive particular, 18 anos, olhos azuis, longos cabelos louros, sensual, bum-bum arrebitado e 2,20 de altura (?). Cobaia das experiências de um alienígena é capaz de se transformar em uma loura gigante que dispara raios pelo corpo. Criada em 1973, pelo paraibano Emir Ribeiro, um dos mais conhecidos autores dos quadrinhos brasileiros.



JOHN LUCAS SILVESTRE DE ALMEIDA, curitibano, 13 anos, artista! Personalidade forte, olhar de quem sabe o que quer, desenha desde os 02 e sua técnica evolui a cada dia conforme rabisca, traça, desenha e rabisca. Adora filmes de ficção científica (De Volta para o Futuro, Star Wars...) e mangás; cursa o 1º grau e, aos sábados, aulas de desenho, só para se aprimorar.
John, por duas vezes, já mostrou sua arte em Um dia de Milazzo e está sempre presente no Blogue do Tex. Hoje, entre tantos profissionais, ele vem homenagear nossos quadrinhos com uma sequência rápida e perspicaz.



KEN PARKERBlog





O encontro comemora os 140 anos do quadrinho nacional. Cartunistas, quadrinhistas, chargistas e caricaturistas se reunirão no Fran'S Café Portugal, Av. Portugal, 1126, Santo André – SP -, das 16h até 23h, neste 30 de janeiro.

Entrada: 01 gibi que se destinará ao acervo da gibiteca de Santo André

- Exposição Relâmpago: Somente no dia com o tema “Faixa de Gaza”.
- Análise de Portfolio: Para todos os desenhistas iniciantes.
- Autógrafos: Ala Voloshyn autografa o livro “ Pimenta do Reino”.
O Quarto Mundo autografa várias revistas de HQ.
Os 7 autografam sua 1ª revista de cartuns.
-Pacotão da Editora Virgo: Descontos especiais em vários livros de cartuns.
-Caricaturas: Faça sua caricatura a preços populares.

Presenças confirmadas:

Ala Voloshyn, Gláucia Lanzoni, Airon, Verde, Luigi Rocco, Jorge Barreto, Ed Sarro, Daniel Alves, Cerito, Zitto, André Liberal, Onésio, Cassiano, Humberto Pessoa, Mastrotti,Will, Marcos Venceslau, Antonio Carlos pires, Gilmar de Godoy, Rafael Dourado, Peixe, Melo, Rice, Odair Lima , Richard.

Informações: 8779-9934

RAN já foi publicado em O Estado de São Paulo (Estadão), Jornal do Brasil (RJ), revistas das editora Abril, Editora Press e Editora Escala. Atualmente o Ran está na "rede" em alguns blogs, entre eles:
http://fotolog.terra.com.br/universoran (onde faz cover's de super-heróis)
http://www.ran.nafoto.net/ ( humor com assuntos gerais )



SALVADOR MESSINA, paulistano nascido em 1959, dono de um traço alegre e caricaturesco. Formado em Arquitetura e Comunicações na USP/SP, exerce atividades de ilustração e quadrinhos em trabalhos autorais e comerciais.

Co-autor em três curtas-metragens de animação, entre eles Masp Movie. Trabalhou na TV Cultura, animando e ilustrando nas séries Rá-Tim-Bum e Castelo Rá-Tim-Bum. Em quadrinhos, seu personagem mais conhecido é o Ran.




KEN PARKERBlog

28 de janeiro de 2009




ABIGAIL ou Bibi é uma das personagens da tira As Velhinhas, onde um grupo da melhor idade vive as aventuras e desventuras da vida moderna. Compõem ainda o grupo: a tonta da Filó (a melhor amiga da Abigail), o tarado do Ari e seu amigo Moisés.

O LOBISOMEM é um dos personagens da HQ A Fera da Vila que aparece na revista Maturi nº 1. O texto é baseado na lenda da fera que assustava a vila de pescadores da Praia de Ponta Negra em Natal. “Achei interessante colocá-lo na composição para que houvesse uma interação com KEN PARKER e Abigail. A cena mostra que, apesar da grande habilidade de Rifle Comprido em seguir uma pista, o Lobisomem enganou o experiente batedor”.



MARCIO JOSÉ COELHO MONTEIRO nasceu no dia 02 de fevereiro de 1965, na cidade de Natal - RN. Autodidata. Participou de várias publicações alternativas, tais como Psiu, Maturi, Artefinal, Mutação e outras. Entrou para o GRUPEHQ (Grupo de Pesquisas de Histórias em Quadrinhos) em 1981, criando personagens como Crop, o lunático; Condor Negro; Urinákel e Bostiákel todos no gênero ficção científica mesclada com humor.

Seus primeiros rabiscos são cópias de desenhos Disney e “calungas” imitando os mergulhadores do seriado Viagem ao Fundo do Mar. Logo depois vem o contato com os super-heróis e os mestres que os desenhavam. Em 1982, através da Metal Hurlant , conhece a arte dos quadrinhos europeus e suas infinitas possibilidades. Em 1987 publicou na revista SUPERFICÇÃO nº 1, da Press Editorial, Instante para Babilônia sobre roteiro de Júlio Emílio Braz. Mother é outra HQ desta parceria publicada numa coletânea baseada nas músicas de John Lennon. No ano de 1992, expôs no CCBD (Centre Belge de la Bande Dessinée, em Bruxelas) algumas páginas dos Cavaleiros do Estandarte Ardente, obra com roteiro de Júlio Emílio Braz que estava desenvolvendo para o mercado europeu através da agência belga Commu. Teve menções honrosas e trabalhos selecionados nos salões de humor de Montes Claros, Volta Redonda e Piracicaba. Entre 2001 e 2002 publicou no jornal Diário de Natal, diariamente, a tira em quadrinhos As Velhinhas. Atualmente seus trabalhos podem ser vistos nas revistas Maturi Especial e Maturi nº 1, financiadas pela Lei de Incentivo Cultural Câmara Cascudo.


KEN PARKERBrog

27 de janeiro de 2009




Slim W. McEarly nasceu no Missouri em 01 de janeiro de 1.840. Filho de imigrantes escoceses teve sua família assassinada por soldados unionistas no início da “Guerra de Secessão”. Após enterrar seus parentes junta-se a um grupo de guerrilheiros confederados chamados “bushwhackers”, cujo líder era “Bloody” Bill Anderson. No decorrer dos confrontos com as tropas da “União” desenvolve grande destreza e rapidez no gatilho o que lhe rende o apelido de “Relâmpago”. Após a morte de Bloody Bill, Slim continua a liderar um grupo menor até que todos são mortos em uma emboscada. Slim é o único a escapar com vida. Com o fim da guerra envolve-se em batalhas nas chamadas “Indians Wars”, trabalha para a “Wells & Fargo” como segurança disfarçado e depois assume o posto de xerife numa pequena cidade no Novo México. Após decepcionar-se com os entraves da justiça e a corrupção local, torna-se caçador de recompensas e resolve aplicar a lei com seus Colt Walker 44, que carrega desde a guerra. Slim “Relâmpago” McEarly passa a ser um nome temido em todo o “Velho Oeste”. Torna-se o mais cruel e implacável “Bounty Hunter” do Oeste Selvagem. No decorrer de suas inúmeras aventuras, Slim também teve encontros memoráveis com muitas outras personalidades do oeste americano como Will Quantrill, Jesse James, Wes Hardin, Wyat Earp, Wild Bill Hickcok, Billy The Kid, Judge Roy Bean, General Thomas Jonathan "Stonewall" Jackson entre outros. De espírito indomável, com personalidade forte e sagaz percorre todo o território americano sempre participando de grandes aventuras.



Nascido em 30 de junho de 1972, em Fortaleza, Ceará. Começa a desenhar desde criança inspirado nos Clássicos Disney. Na adolescência, sob a influência de revistas de aventura, faroeste e de super-heróis, passa a criar suas próprias histórias. Aos 18 anos, sem vislumbrar perspectiva de crescer como quadrinhista, abandona tudo para estudar Engenharia Mecânica e trabalha como corretor de seguros. Em fevereiro de 2005 assiste a uma série de palestras no Centro Cultural Dragão do Mar, no evento Panorama Nona Arte. Lá conhece um grupo que está reativando a Oficina de Quadrinhos da Universidade Federal do Ceará (UFC). Entra como aluno e após seis meses passa a dar aulas de desenho para as novas turmas. Ainda em 2005 tem sua primeira história publicada na revista Pium, publicação ligada ao curso.

Recebe convite para publicar no fanzine Manicomics, três vezes ganhador do Troféu HQ Mix. Nesse mesmo período, ainda em parceria com a Oficina de Quadrinhos, desenha histórias curtas para o Projeto Contando a Cidade, do Jornal O Povo; colabora na arte de uma HQ para a Prefeitura de Fortaleza e com a revista Universidade Pública, da UFC. Conhece o conceituado artista, roteirista e tradutor Wilson Vieira, que trabalhou por sete anos no concorrido e prestigiado mercado italiano. A dupla cria o logotipo e mascote para a FNNETWORK TV RADIOSTATION, de Gênova e passa a publicar suas histórias através do site italiano Progetto Fumetto em edições bilíngüe (português/italiano). Primeiro o Western-Terror Kwi-Uktena e em seguida a Ficção Científica Evolution, ambas em 2007. A primeira história é publicada posteriormente na revista Prismarte e sai na revista Argentina Con-Hache. No fim de 2008 ambas as histórias são publicadas pela prestigiada revista portuguesa BD Jornal, 23 e 24, sendo que neste último número, um especial dedicado ao gênero “Western” e ao personagem “Tex”, sai também a entrevista que concedeu ao Blog do Tex ao lado das entrevistas de Wilson Vieira e Sérgio Bonelli. No momento, Fred Macêdo está envolvido em outros projetos com Wilson Vieira, colabora com a revista cultural Enredo e dá aulas de desenho.



KEN PARKERBlog



A TURMA DA MÔNICA, de Maurício de Sousa. A história começa em 1959 quando, repórter policial do jornal Folha da Manhã, Maurício tem a oportunidade de desenhar a tira diária de Bidú e Franjinha. Logo surgem Cebolinha (1960) e Cascão (1961)...Mônica aparece só em 1963, inspirada em uma das filhas do desenhista. As aventuras da turma acontecem no bairro fictício do Limoeiro em São Paulo, onde Mônica é a “dona da rua" e Cebolinha, a todo custo, deseja sua posição. Magali, a melhor amiga da Mônica, também tem como referência outra das filhas de Maurício.



EMMANUELLE VIANA PONTUAL, natural da cidade de Recife - PE. Arte-educadora formada pela Universidade Federal de Pernambuco e especialista em Arte-educação pelo Instituto Brasileiro de Pós-graduação e pela Faculdade de Curitiba. O contato com as artes veio nas aulas de balé, ainda na escolinha. Estudou sapateado americano e dança de salão. Em 1997 cursou Educação Artística, seu primeiro contato com o teatro; em 2003 entrou para o grupo teatral Pressão no Juízo; em 2007, curso de desenho e pintura pela Associação dos Artistas Plásticos de Pernambuco.

A Mônica foi o primeiro quadrinho que li em toda a minha vida e, de certa forma, sempre me identifiquei com ela. Na infância eu era a Mônica, literalmente, em todos os aspectos físicos e psicológicos, gostos e tudo. A Mônica foi uma personagem que me ajudou muito a aceitar quem eu era quando criança”.




KEN PARKERBlog

26 de janeiro de 2009




Criado por Moysés Weltman para o rádio, Jerônimo, o herói do sertão, começou sua trajetória nos quadrinhos em 1957, nos traços de Edmundo Rodrigues, publicado pela Rio Gráfica Editora (RGE) e, no final dos anos 70 (começo dos 80), pela Editora Bloch. Estreou na TV Tupi em 1972, novela dirigida por Benedito Rui Barbosa. Um sucesso que retornaria pelo SBT (Sistema Brasileiro de Televisão) em 1984, com reprise em 1991. Francisco di Franco interpretou Jerônimo nas duas produções. Para desenhar o Herói do Sertão me inspirei no Jerônimo da TV”.


Meu nome é Diêgo Silveira. Faço quadrinhos desde os sete anos (1991). Depois de um curso de desenho e quadrinhos (1998-2002), tenho tentado publicar meus trabalhos no Brasil, EUA, França, Itália, Espanha e Portugal. De 1999 a 2002 colaborei com o fanzine Prancheta e de 2004 a 2005 assisti e ministrei aulas sobre desenho e linguagem das HQs na Universidade Federal do Ceará, pelo projeto de extensão Oficina de Quadrinhos.



KEN PARKERBlog



RAIO NEGRO!! Criação do grande mestre Gedeone Malagola (1924 – 2008), esse super-herói, inspirado no Lanterna Verde (DC) e Ciclope (Marvel) surgiu em 1965. Foi publicado pelas editoras GEP, GRAFIPAR e Phenix. Depois de um longo tempo fora do mercado editorial, hoje, graças a Editora JÚPITER II, podemos ter, novamente, essa grande obra dos quadrinhos nacional. Este trabalho é uma pequena homenagem ao mestre Gedeone.



PAULO JOSÉ: "Nasci em 09/04/1970, em Guadalupe - RJ. Comecei a ler quadrinhos desde cedo, entre muitos personagens que aprendi a gostar os principais são do gênero western, Tex, KEN PARKER, Jonah Hex, Cobra, etc. Aos dezessete anos fiz um curso de desenho, nesse período consegui meu primeiro emprego, foi justamente em uma agência publicitária, onde desenhava. Após concluir o curso comecei a pintar quadros a óleo. Trabalhei em várias outras coisas, hoje trabalho por conta própria. Entre um trabalho e outro faço quadrinhos, fiz alguns zines ( Mamute, Reverso, Magnus ), colaborei com algumas revistas, como a Billy the Kid, e desenhei uma edição do “Sinergia” de José Mario Duarte. No momento estou fazendo uma HQ do RAIO NEGRO para a Júpiter II, do amigo José Salles.
Junto com Tex, KEN PARKER é um dos personagens que mais gosto. Uma revista que me marcou muito foi uma edição de Rifle Comprido, TERRAS BRANCAS, até hoje é uma das minhas favoritas. Tinha essa edição quando garoto e consegui outra há pouco tempo".


KEN PARKERBlog

25 de janeiro de 2009

A Semana do Quadrinho Nacional (1ª HQbrás) começa, de fato, agora e nossas próximas postagens não obedecerão horários. Portanto, a qualquer momento um novo post, um novo artista e sua arte aparecerão no KEN PARKERBlog. Pretendemos, assim, o máximo da sua atenção para essa festa de todos nós, amantes de Rifle Comprido e das personagens no papel.




  • Na última hora nossa programação foi alterada, uma exceção se fez necessária: a homenagem do genial Adauto Silva ao Lucas não podia ficar de fora.


KEN PARKERBlog

O jeitinho brasileiro de desenhar Ken Parker

O maior número possível de desenhistas brasileiros, consagrados ou ainda não, todos reunidos em torno e com KEN PARKER para comemorar o 30 de janeiro, Dia do Quadrinho Nacional. Era essa a idéia. Essa é a realidade!

A Semana do Quadrinho Nacional começa hoje e vai até o próximo sábado, com muita arte, alegria, descontração e traços vigorosos. Diversos são os estilos, muitas as interpretações...Rifle Comprido ganha uma dimensão maior que precisa ser analisada e compreendida, tal a resposta à nossa convocação.

E a esses artistas fantásticos e suas personagens fantásticas só podemos dizer, obrigado e desejar que a mídia especializada (?) abra seus olhos e perceba o que ocorre em seu quintal.
  • Todo o sucesso desse projeto é resultado da capacidade de crer e do empenho do meu parceiro Lucas Pimenta, a quem abraço.

João Guilherme

20 de janeiro de 2009

18 de janeiro de 2009

O eterno jogo das pequenas diferenças...

Luca Vannini, para matar saudades!! Título pomposo para festejar uma ilustração magnífica, digna de KEN PARKER.


Telling of the Legends (dizendo, falando das lendas), litografia do artista plástico Howard Terpning.



Howard Terpning é o principal artista norte-americano vivo a retratar, com verdade e paixão, as experiências e costumes dos índios de seu país. Membro do Cowboy Artists of America reside no Arizona e dedica-se, integralmente, à sua arte. Natural de Oak Park, Illinois (05/11/1927), é famoso por seus cartazes para o cinema (1960-1970) e suas pinturas da guerra do Vietnã (seus trabalhos estão expostos no National Museum of the Marine Corps).

Na minha tribo dizem que é permitido "inspirar-se" no trabalho de outro artista, mas vivo me perguntando, até quanto...


João Guilherme

12 de janeiro de 2009

Arte Brasileira para Brasileiros

A Semana do Quadrinho Nacional tem como objetivo divulgar e festejar nossos quadrinhos, roteiristas, desenhistas e divulgadores. Inspirada no Dia do Quadrinho Nacional (30 de janeiro) e na homenagem de Ivo Milazzo a Cedraz, criador de A Turma do Xaxado (KEN PARKER encontra Xaxado), nossa primeira edição tem como tema o encontro de Rifle Comprido com uma personagem nacional, de preferência da autoria do artista participante.

Muitos desenhistas já abraçaram nossa idéia e contamos com a participação de tantos outros. Vale de tudo: ilustração, quadrinhos, charge, animação...É só dar asas à criatividade e enviar seu trabalho (acompanhado de breve biografia e dados da personagem escolhida), para nosso e-mail: kenparker.blog@gmail.com, até o próximo dia 23.

EM TEMPO: Ao contrário do que tem sido divulgado (?), o KEN PARKERBlog vem confirmar a realização de A Semana do Quadrinho Nacional para o período de 25 a 31 de janeiro de 2009. Vamos comemorar nossos quadrinhos com muita arte!

Lucas Pimenta

9 de janeiro de 2009


Capa da edição 28 da KEN PARKER Magazine (Sergio Bonelli Editore – mai/1995), onde se constata a arte genial e o poder de síntese de Ivo Milazzo. Apesar de indefinidas, as expressões daqueles que atacam Rifle Comprido são presentidas pelo observador atento.

No Brasil, essa aventura foi publicada, completa, no número 14 da coleção KEN PARKER da Editora Mythos (jan/2002), nos moldes da KP Collezione (SBE – jul/1997). A capa, porém, é inédita no Brasil.

João Guilherme

6 de janeiro de 2009

Semana do Quadrinho Nacional


EM TEMPO: Deve acompanhar a arte, uma mini-biografia do artista bem como da personagem.


KEN PARKERBlog