25 de fevereiro de 2008



O final de HOMICÍDIO EM WASHINGTON (KP04). Nosso herói inconsciente, pé esquerdo preso ao estribo, enquanto Donald Welsh se afasta tranqüilamente. Observem no canto direito do quadro, encostado no cercado: o Kentucky, que KEN julgou estar na posse de “o sortudo”, mas que, na verdade, estava com Dash (ver SOB O CÉU DO MÉXICO – KP07). Depois que recuperou a memória, PARKER só podia suspeitar do assassino de aluguel, pois julgava o velho amigo morto. Um simples detalhe, uma pista que Berardi deixou aos seus leitores, mas que passou desapercebida. Naquela altura dos acontecimentos, a preocupação era com a saúde do scout.


KEN PARKERBlog

3 comentários:

Rafael disse...

Ou seria obra de Milazzo?

Eu creio mais nessa hipotese... ter sido obra do desenhista, que decidiu deixar a pista, falou com Berardi e esse aprovou a idéia...

Ahhh, esse, não foi só vc que viu não!
risos...

Eu só não tinha chegado a essa conclusão...

Rafael

Mateus Albuquerque disse...

Não li a história, mas do jeito que Millazo é, a idéia foi dele mesmo!

hiroshi disse...

já está linkado na edição #10 do CQQ... Muito bom... Parabéns...