27 de janeiro de 2009




Slim W. McEarly nasceu no Missouri em 01 de janeiro de 1.840. Filho de imigrantes escoceses teve sua família assassinada por soldados unionistas no início da “Guerra de Secessão”. Após enterrar seus parentes junta-se a um grupo de guerrilheiros confederados chamados “bushwhackers”, cujo líder era “Bloody” Bill Anderson. No decorrer dos confrontos com as tropas da “União” desenvolve grande destreza e rapidez no gatilho o que lhe rende o apelido de “Relâmpago”. Após a morte de Bloody Bill, Slim continua a liderar um grupo menor até que todos são mortos em uma emboscada. Slim é o único a escapar com vida. Com o fim da guerra envolve-se em batalhas nas chamadas “Indians Wars”, trabalha para a “Wells & Fargo” como segurança disfarçado e depois assume o posto de xerife numa pequena cidade no Novo México. Após decepcionar-se com os entraves da justiça e a corrupção local, torna-se caçador de recompensas e resolve aplicar a lei com seus Colt Walker 44, que carrega desde a guerra. Slim “Relâmpago” McEarly passa a ser um nome temido em todo o “Velho Oeste”. Torna-se o mais cruel e implacável “Bounty Hunter” do Oeste Selvagem. No decorrer de suas inúmeras aventuras, Slim também teve encontros memoráveis com muitas outras personalidades do oeste americano como Will Quantrill, Jesse James, Wes Hardin, Wyat Earp, Wild Bill Hickcok, Billy The Kid, Judge Roy Bean, General Thomas Jonathan "Stonewall" Jackson entre outros. De espírito indomável, com personalidade forte e sagaz percorre todo o território americano sempre participando de grandes aventuras.



Nascido em 30 de junho de 1972, em Fortaleza, Ceará. Começa a desenhar desde criança inspirado nos Clássicos Disney. Na adolescência, sob a influência de revistas de aventura, faroeste e de super-heróis, passa a criar suas próprias histórias. Aos 18 anos, sem vislumbrar perspectiva de crescer como quadrinhista, abandona tudo para estudar Engenharia Mecânica e trabalha como corretor de seguros. Em fevereiro de 2005 assiste a uma série de palestras no Centro Cultural Dragão do Mar, no evento Panorama Nona Arte. Lá conhece um grupo que está reativando a Oficina de Quadrinhos da Universidade Federal do Ceará (UFC). Entra como aluno e após seis meses passa a dar aulas de desenho para as novas turmas. Ainda em 2005 tem sua primeira história publicada na revista Pium, publicação ligada ao curso.

Recebe convite para publicar no fanzine Manicomics, três vezes ganhador do Troféu HQ Mix. Nesse mesmo período, ainda em parceria com a Oficina de Quadrinhos, desenha histórias curtas para o Projeto Contando a Cidade, do Jornal O Povo; colabora na arte de uma HQ para a Prefeitura de Fortaleza e com a revista Universidade Pública, da UFC. Conhece o conceituado artista, roteirista e tradutor Wilson Vieira, que trabalhou por sete anos no concorrido e prestigiado mercado italiano. A dupla cria o logotipo e mascote para a FNNETWORK TV RADIOSTATION, de Gênova e passa a publicar suas histórias através do site italiano Progetto Fumetto em edições bilíngüe (português/italiano). Primeiro o Western-Terror Kwi-Uktena e em seguida a Ficção Científica Evolution, ambas em 2007. A primeira história é publicada posteriormente na revista Prismarte e sai na revista Argentina Con-Hache. No fim de 2008 ambas as histórias são publicadas pela prestigiada revista portuguesa BD Jornal, 23 e 24, sendo que neste último número, um especial dedicado ao gênero “Western” e ao personagem “Tex”, sai também a entrevista que concedeu ao Blog do Tex ao lado das entrevistas de Wilson Vieira e Sérgio Bonelli. No momento, Fred Macêdo está envolvido em outros projetos com Wilson Vieira, colabora com a revista cultural Enredo e dá aulas de desenho.



KEN PARKERBlog

9 comentários:

JoguL disse...

Fred,
seu trabalho é soberbo: a composição Parker-McEarely opostos, como contrários e, ao mesmo tempo, idênticos (refiro-me à postura), como reflexo no espelho...aquela cerquinha inclinada à direita do observador quebrando a monotonia (visual) da batalha e trazendo movimento à cena...o efeito do impacto do machado no solo...as cores suaves harmonizando sua arte agressiva...as disproporções da sua técnica, verdadeiras mensagens subliminares e sua assinatura se fundindo, fazendo parte da sua arte. Seu Ken Parker é um autêntico montanhês. Parabéns!

Abraço,
João Guilherme.

Anônimo disse...

Sigo o João Guilherme.
Simplesmente fantástico.
AMoreira.

Lucas Pimenta disse...

Grande Fred, tudo já foi fito.

Parabéns, arte fantástica!

Grande abraço!

Diêgo Silveira disse...

Tive a oportunidade de conhecer o Fred através do projeto Oficina de Quadrinhos da UFC.
Não me admiro de ver uma obra assinada por ele neste blog. Afinal o Fred é um legítimo perito no desenho de HQs ambientadas no velho-oeste americano. É também um autor de estilo versátil, capaz de emprestar todo seu talento a narrativas de diferentes temas.
Se me perguntassem quem eu escolheria para desenhar um novo episódio de Ken Parker, a primeira opção seria Milazzo; a segunda, Macêdo.

Adauto Silva disse...

Sensacional desenho, mais um trabalho deste grande artista. Sem palavras.

Anônimo disse...

Caramba Pessoal!
Agora, revendo as postagem é que percebi que o Slim é a cara do Fred!
Fantástico, sensacional!
AMoreira.

José Carlos Francisco disse...

O Diego Silveira escreveu "Se me perguntassem quem eu escolheria para desenhar um novo episódio de Ken Parker, a primeira opção seria Milazzo; a segunda, Macêdo.", eu pelo contrário invertia as posições, isto sem menosprezo nenhum pelo Milazzo, mas elegeria o Fred e isso diz tudo da admiração que nutro por este artista brasileiro, a quem auguro altos voos!

Anônimo disse...

Olá, amigos!

Fico extremamente gratificado em saber que o resultado do trabalho agradou a vocês. Confesso que adorei fazer esse desenho. Adoro o velho Ken e ter um “motivo” para juntá-lo ao Slim foi uma grande satisfação. Esse motivo foi dado pelos amigos Lucas Pimenta e João Guilherme, no que reitero minha gratidão.

Obrigado também aos amigos/companheiros Diego Silveira, um cara que saca quadrinhos pra danar, Adauto Silva, lindo desenho do Billy e o Ken (já copiei pro meu arquivo), ao companheiro Antônio Carlos Moreira e ao onipresente amigo Zeca “El Grand” Francisco.

Só esclarecendo a observação do caro A. Moreira, de fato emprestei a minha cara ao Slim (Esbelto) McEarly (uma corruptela do Mc escocês com Early – cedo, que ficaria próximo ao Ma”cêdo “). Foi a forma mais fácil que achei de encontrar um nome pro personagem. O curioso é que depois vim a descobrir que existe uma família McEarly, de origem “irlandesa” com brasão e tudo o mais.

Abraços!

Fred Macêdo

P.S.: Lucas, não esqueci o seu desenho.

http://fotolog.terra.com.br/fredmacedo

Lucas Pimenta disse...

Grande Fred... valeu por tudo.

E eu sei que não esqueceu... e eu tenho paciência, fico no aguardo.

Obrigado dese já!

visitei o blog e já deixei comentários... olha lá...

grande abraço