14 de janeiro de 2008

Nunca é tarde, nunca é demais: QUACK!

É impossível escrever sobre Berardi e Milazzo sem recorrer aos adjetivos belo, genial, grandioso, magnífico...QUACK! é um exemplo disso. A história (três páginas aquareladas) em homenagem à Donald, criada por ocasião da mostra itinerante “I Love Paperino” e publicada, pela primeira vez, no catálogo da mostra – Editori del Grifo –, 1984, é deliciosa, surpreendente, inimaginável (mais adjetivos) para simples mortais. Afinal, Berardi não coloca os dois heróis no encalço dos Metralhas ou de Cochito utilizando, simplesmente, um dos muitos recursos à disposição de bons roteiristas de quadrinhos para reunir duas personagens de universos distantes: passes de mágica, viagens no tempo, portais dimensionais... Não, prefere constranger seu “filho querido” contando a história como se tudo não passasse de uma pertubadora alucinação de Rifle Comprido, talvez, provocada pela fome. Dando vida a essa vertigem, a arte de Milazzo.

QUACK – Omaggio a Paperino, também foi publicada na revista Comic Art 11 (mai/1985), álbum IL RESPIRO E IL SOGNO (Editori del Grifo – mai/1991), KEN PARKER Serie Oro 62, em preto e branco (Parker Editore – ago/1994) e KEN PARKER Collection 31 (Panini Comis – nov/2005).

Infelizmente, é inédita no Brasil. Mas, graças à Internet, a maioria dos kenparkerianos tupiniquins já pôde desfrutar de obra tão ímpar, estupenda...e haja adjetivos.
Mas não custa nada apreciá-la mais uma vez...e outra...e mais outra... sempre!








João Guilherme

2 comentários:

Anônimo disse...

Não consigo fazer um comentário sem ser repetitivo.
Genial!
AMoreira.

Rafael disse...

O Amoreira acima disse tudo.

Parabéns garotos, estão no caminho certo.

Com vocês KP rever a familia de novo...
participa de duelos inimaginaveis...

E nós, simples fãs, vemos tudo isso de novo.

Parabéns e Obrigado!

Rafael